Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

xicaweb

04
Jan08

O fim...

Francisca


... de uma aventura para muitos!!  Para para o ano há mais. Assim esperamos.

É triste ver até onde chegou o terrorismo... a uma prova tão simbólica como o Dakar terminar sem ainda ter começado por razões completamente alheias a este tipo de prova.  Tanto esforço e investimento (pessoal e económico) ... Porquê que as pessoas não podem conviver pacificamente?

Não sei se concordo com o seu cancelamento. No entanto, entendo a organização da prova, as pessoas estão acima de qualquer patrocinio, mas estamos a dar azo para que muitas outras competições acabem por causa desta nova guerra!



03
Jan08

A justiça é cega???

Francisca
Membro dos Gato Fedorento apresentou 1,6 g/l
Humorista José Diogo Quintela condenado a trabalho comunitário por conduzir alcoolizado 
02.01.2008 - 19h03 PÚBLICO
Aconteceu na madrugada da passagem de ano. José Diogo Quintela, um dos quatro humoristas do Gato Fedorento, foi mandado parar pela PSP numa operação stop no Cais de Sodré, em Lisboa. Por apresentar uma elevada taxa de álcool no sangue, 1,6 g/l, esteve detido cerca de hora e meia e apresentou-se, hoje, no Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa.
Por ser a primeira vez que infringiu a lei, Quintela foi condenado a 40 horas de trabalho comunitário e terá de doar uma quantia, ainda não estipulada, a uma instituição de solidariedade social.
Horas antes da detenção, o humorista esteve em directo na RTP1, ao vivo, no programa Diz que é uma Espécie de Revéillon, com os restantes Gato Fedorento. Enquanto estiveram no ar, os quatro foram bebendo espumante, ao mesmo tempo que faziam algumas referências ao acto de soprar no balão.
Horas depois do programa terminar, Quintela foi detido pela PSP quando fazia uma ultrapassagem pela direita. O teste do balão confirmou ter uma taxa de álcool no sangue de 1,65 g/l, três vezes mais do que o limite permitido (0,5 g/l).
Segundo o Código Penal, mais de 1,2 gr/l de álcool no sangue é crime e pode ser punido com prisão até um ano ou pena de multa até 120 dias. O infractor pode ainda ser proibido de conduzir entre três meses e um ano.


retirado in  Público.pt

Quantas pessoas 'ditas' normais já foram apanhadas numa situação como esta ( e ser a primeira vez) e tiveram que pagar a multa e  ficaram sem carta? Penso que quase todas!
Acho que o trabalho comunitário só se aplica a gente famosa!!! o resto do  pessoal fica com a lei propriamente dita.
É triste...
É Portugal...

Pág. 1/2